terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Portugal é um tratado

Entrou hoje – 01-12-2009 – em vigor o Tratado de Lisboa.
Se eu disser que 50% dos portugueses não conhecem o tratado, não estou a mentir. Mas também não estou a dizer a verdade. A percentagem é muito maior.
Tirando “meia dúzia” de portugueses que, por questões de ordem profissional, tiveram que ler e estudar o Tratado de Lisboa, o resto da população não faz a mais pequena ideia do que seja o tratado. Não tenho dúvidas que este nível de desconhecimento se aplica aos restantes 26 países da comunidade. Mas, como diz o povo, com o mal dos outros posso eu bem.
Se alguém perguntar aos senhores deputados da Nação se conhecem o Tratado de Lisboa, todos dirão que sim. Não porque o conheçam, mas porque têm vergonha de assumir o desconhecimento.
Os portugueses deveriam ler o Tratado de Lisboa?
A resposta é óbvia. Não.
E porquê?
Simples. Porque não nos diz respeito.
Fomos consultados se o referido tratado nos interessava?
(por uma questão de sanidade mental não vou fazer qualquer comentário às promessas eleitorais que todos fizeram sobre esta matéria)
Não.
Porquê?
Bem, porque o governo tem poderes para decidir em nosso nome. Tanto assim é que vendeu parte da nossa soberania, substituiu a moeda portuguesa por uma estrangeira, no edifícios públicos está hasteada um bandeira estrangeira com a bandeira portuguesa (por enquanto) a seu lado. Nada me admirará que qualquer dia o Hino Nacional seja proibido …
Mas o mais irritante é que fazem tudo isto e dizem que é em nosso nome!
Será que somos todos uma cambada de atrasados mentais que se formos consultados sobre estas matérias só fazemos merda?!

Sem comentários: