quarta-feira, 21 de agosto de 2019

Variações em Dó Maior


Dó ou dor maior.
Estreia amanhã, 22, o filme Variações sobre a vida de António Joaquim Rodrigues Ribeiro, eternizado como António Variações.
Carreira de cantor curta, muito curta, que se seguiu a uma carreira de barbeiro (como gostava de referenciar). Na morte foi ostracizado por todos aqueles que hoje o “aplaudem” e cantam as sua canções. No seu velório na Basílica da Estrela compareceram, da área musical, Amália, Lena D’Água, Heróis do Mar e Maria da Fé. Os outros, por medo, primaram pela ausência. Presentes, também, muitos estudantes (que adoravam as suas músicas e irreverência) e muitos barbeiros que foram despedir-se de seu ídolo. Músicos, para além dos referenciados, nada mais.
O medo da SIDA era enorme, só de falar dela havia o receio de contágio! Até a classe médica tinha pavor desta doença. A autópsia foi realizada com recurso a cuidados extremos de segurança e o caixão foi selado por motivo de “constituir perigo para a saúde pública”.
"Tenho pena de morrer, mas não medo. Tudo o que acaba me deprime. Mais pelo fim do que pelo ato em si."- palavras de António Variações à Imprensa, poucas semanas antes de morrer.

terça-feira, 20 de agosto de 2019

A Cabra

O governo português tenta encontrar soluções para o problema de incêndios florestais que nos atingem todos os anos. Depois do recurso a ferramentas de alta tecnologia – drones e satélites – agora tenta apostar em cabras. Sim, em cabras.
Parte do problema que atinge Portugal é comum a todos os países do sul da Europa, ou seja, a desertificação do interior e o envelhecimento dos seus residentes. O abandono em que se encontram as aéreas florestais de Portugal é gritante. Terrenos íngremes onde um trator ou máquina agrícola tem dificuldade em entrar, recorrer à mão-de-obra não é economicamente viável. É aqui que surge a cabra. Percorrer esses campos com cabras, estas fariam a desmatação necessária e de forma bastante económica.
Só que existe um problema, há falta de cabras (e maiorais também), em especial nas zonas em que elas poderiam ser úteis para este fim.
Na foto_1 podemos ver cabras em ação em Vermelhos, perto de Almodôvar. Na foto_2 a limpeza do terreno após a passagem das cabras.
Fotos: José Sarmento Matos para The New York Times

terça-feira, 13 de agosto de 2019

Turistas de saúde


Cada vez mais americanos cruzam a fronteira para fazer cirurgias no México. A cada ano, centenas de milhares de americanos procuram atendimento médico de baixo custo no estrangeiro, e muitos deles vão para os países do Caribe e da América Central. Os altos preços dos hospitais americanos tornam relativamente fácil optar por ofertas cirúrgicas no México. Por exemplo, nos Estados Unidos, a operação de substituição da rótula do joelho custa cerca de 30 mil dólares, mas na Galenia, um centro médico em Cancún, México, o custo é de apenas 12 mil.
"Foi uma ótima experiência", disse Donna Ferguson (na foto), que recentemente passou por essa intervenção no México. "Voltaria aqui simplesmente porque é um nível diferente de cuidados, eles tratam-nos como se fossemos da família."
Foto: Rocco Saint-Mleux para Kaiser Health News

segunda-feira, 12 de agosto de 2019

El Paso, TX







A retórica anti-imigração de Donald Trump tem intensificado a onda de racismo e violência nos Estados Unidos” afirma Jorge Ramos, jornalista mexicano no The New York Times. E acrescenta “O massacre de latinos em El Paso, Texas, é a expressão mais brutal e violenta de rejeição em face do futuro dos EUA dominado por minorias. É o que acontece quando o ódio racial é promovido de cima para baixo num país onde há mais armas do que pessoas”.
Na foto_1 o casal Jordan e André Anchondo duas das 22 vitimas do massacre de El Paso. Morreram protegendo com seus corpos o seu filho Paul com 2 meses de idade. Na foto_2 vemos o pequeno Paul ao colo de Melina que despudoradamente se presta a este tipo de exibicionismo, para não falar na desfaçatez e hipocrisia de seu marido com o polegar bem para cima. Trump está a colocar “gosto” em quê? Escuso-me a comentar.

sexta-feira, 9 de agosto de 2019

Alzheimer


Nos últimos dias tem surgido na comunicação social, um pouco por todo o mundo, que um grupo de investigadores (12) de neurologia descobriram que um simples teste sanguíneo deteta os sinais da doença Alzheimer 20 anos antes de ela se manifestar.
Nada mais falso.
Trata-se de uma interpretação dúbia do trabalho desses investigadores publicado em 01 de agosto na revista Neurology.
É um trabalho de muita qualidade, estes investigadores demonstram que a presença de beta-amilóide no sangue está relacionada com a presença de placas amilóides. Mas ter placas amilóides não significa que se irá desenvolver a doença. Algumas pessoas têm essas placas e nunca ficaram doentes.
Todos os pacientes com Alzheimer possuem essas placas. Esta é uma condição necessária, mas não suficiente.
Fonte: Le Figaro

sexta-feira, 2 de agosto de 2019

Morte Cerebral

Começa assim o artigo de opinião de Clare Wilson na revista New Cientist de julho, 13:
Quando você ler este artigo, Vincent Lambert pode estar morto. Ele está em estado vegetativo desde um acidente de carro em 2008. A semana passada os médicos de Reims, em França, começaram a remover o seu suporte de vida depois de uma sentença do Supremo Tribunal de França. Foi uma longa batalha jurídica entre duas partes da sua família. Neste caso intervieram políticos, o Papa e o Comité das Nações Unidas do Direito das Pessoas com Deficiência.”
Este problema, de uma maneira geral, toca-nos a todos. O problema é que poucos de nós gostam de falar sobre a morte e menos ainda dão um passo importante para garantir que os nossos entes queridos saibam como queremos ser tratos no final das nossas vidas em situações como esta que são bem mais frequentes do que julgamos.
Por nossa causa, e por aqueles que deixamos para trás, todos nós precisamos pensar em como queremos morrer”, diz Clare Wilson.
Fonte: New Scientist 13/07/2019

Curiosidades


Sabe que imagem é esta?
Provavelmente não. Eu também não imaginava.
É areia, isso mesmo, grãos de areia ampliados (+/- 300 vezes).
Foto: daqui

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

Recordar Outros Tempos

Barbilho para chibos – Utensílio a ser introduzido na boca dos chibos e a ser atado com um cordel, atrás das orelhas. Assim se evita que eles mamem até a mãe ser ordenhada. Depois retira-se para eles mamarem e volta a ser colocado. Deste modo, os pastores conseguem ter sempre leite para fabricar queijos.
Via: Do tempo da Outra Senhora

quarta-feira, 31 de julho de 2019

Recordar Outros Tempos


Cesto de Asas – Cesto usado em viagens, no transporte de compras ou de merendas. Com duas asas, uma em cada uma das tampas, as quais durante o uso permanecem fechadas por ação de um pauzinho que as une. Em vime, pintado de vermelho.





segunda-feira, 29 de julho de 2019

Amazónia a saque


Mineiros ilegais matam líderes indígenas, enquanto o desmatamento aumenta no Brasil.
Numa invasão na semana passada do território protegido da Amazónia, vários mineiros armados e vestidos como militares esfaquearam pelo menos um líder da comunidade Wayampi até a morte, de acordo com autoridades.
Ultimamente, mais incursões ilegais nos territórios protegidos foram relatadas, enquanto as vigilâncias ambientais da floresta da Amazónia brasileira foram reduzidas pelo governo de Jair Bolsonaro. Até agora, este ano, houve um forte aumento do desmatamento na maior floresta tropical do mundo, considerada o pulmão do planeta. A parte brasileira da Amazónia perdeu mais de 3400 km² de cobertura florestal desde que Bolsonaro assumiu o governo em janeiro.
-
Texto e Foto via The New York Times